sábado, 9 de fevereiro de 2013

Anatomia das Fadas


                            Anatomia das Fadas

As fadas são geralmente descritos como humanos na aparência e tem poderes mágicos muito fortes.


 Embora na cultura moderna, são muitas vezes retratadas como humanóides jovens, às vezes alado, de pequena estatura, que originalmente foram retratados pelos celtas de maneira bem diferente: altas, radiante, seres angelicais ou curtos, trolls enrugados sendo estes apenas alguns dos mencionados normalmente.

Fadas pequeninas de um tipo ou outro foram registradas ao longo dos séculos, mas ocorrem junto com registros de fadas do tamanho humano, as quais têm sido descritas como variando em tamanho desde muito pequenas até o tamanho de uma criança humana.

 Mesmo quando eram tidas com grande altura era tida a crença de que podiam modificar sua estatura como quisessem.

Asas, embora comuns em obras de arte vitoriana e depois de contos de fadas, são muito raros no folclore, até mesmo fadas muito pequenas voavam com a magia, às vezes voando em talos de flores, folhas ou nas costas dos pássaros. 

Hoje em dia, fadas são muitas vezes representadas com asas de insetos comuns ou asas de borboleta, mas no âmbito espiritual essa visão não é muito aceita.

Vários animais também têm sido descritos como fadas. Às vezes, isso é o resultado de forma inconstante em que as fadas podem se apresentar, como no caso das selkies (povo foca – seres que vivem a maior parte do tempo em forma de foca e se transformam em humanos quando quiserem seduzir algum humano – da mitologia irlandesa), ou dos kelpies (espiritos aquaticos malignos que espreitavam os lagos da escócia, possivel origem para a lenda do monstro do Lago Ness).

Corpo astral O reverendo Robert Kirk, o ministro da Paróquia de Aberfoyle, Stirling, na Escócia, escreveu em 1691:

"Esses Siths ou fadas que eles chamam de Sleagh Maith ou as Pessoas Boas ... Diz-se seres de natureza média entre os homens e os deuses; de inteligentes espíritos fluidos e corpos de luz mutáveis ( os chamados Corpos Astrais) se assemelhando um pouco com a natureza de uma nuvem condensada, e melhor vistos no crepúsculo. 

Estes corpos são tão flexíveis que esses Espíritos podem aparecer ou desaparecer a seu bel prazer. "- da The Secret Commonwealth of Elves, Fauns and Fairies."

Teosofistas acreditam que devas, espíritos da natureza, elementais (gnomos, ondinas, silfos e salamandras) possuem corpos etéreos que são compostas de matéria etérica, um tipo de matéria mais fina e mais pura que é composta de partículas menores do que a matéria ordinária do plano físico. 

Essas fadas só podem ser observadas quando o terceiro olho é ativado ou quando elas por vontade própria se mostrarem.

Deformidades muitas vezes pode-se identificar um membro da raça de fadas por certas deformidades.

 Nas terras altas da Escócia, por exemplo, as mulheres fadas muitas vezes tinham só uma narina ou nenhuma narina. Elas também eram conhecidas por seus seios extraordinariamente grandes, que jogavam sobre seus ombros (e de fato, este defeito foi encontrado em contos folclóricos em toda a Europa).

 Alguns tinham cascos de veado, escondidos abaixo de seus longos vestidos verdes.

Nos países escandinavos, os Huldrefolks (seres da mitologia nórdica que sempre enganavam os homens) eram frequentemente bonitos pela frente, mas na parte de trás podiam ser ocos.

 Assim, um homem encantado com a sua magia e música poderia, se ele ainda tinha seu juízo, dizer, `Vire e me deixe preencher seu lado vazio", a mulher Huldre poderia desaparecer ou virar-se, e assim o encantamento seria quebrado e ela enfim seria um ser completo.

 Outros tinham costas que eram ásperas como pinhas. Algumas das mulheres Huldres tinham caudas de vaca, que eram escondidos sob seus vestidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário